Grupo SIMAB apresentou “know how” A dirigentes e empresários angolanos

Home/Imprensa, Imprensa 2019, Inicio/Grupo SIMAB apresentou “know how” A dirigentes e empresários angolanos

Grupo SIMAB apresentou “know how” A dirigentes e empresários angolanos

A experiência do Grupo SIMAB na conceção e gestão de mercados, abastecedores e retalhistas, foi apresentada agora na capital angolana, no âmbito da Feira de Negócios dos Municípios de Luanda, que decorreu até domingo (27) no Mercado Abastecedor de Benfica.

Intervindo num fórum dedicado ao “Desafio da Agrologística no Escoamento da Produção Nacional”, o CEO do Grupo SIMAB começou por apresentar as competências da “holding” portuguesa, designadamente a execução de estudos de caracterização agrícola e comercial, de conceção e dimensionamento, de viabilidade economica-financeira, e de nova legislação (legislação comercial).

A par da elaboração de projetos de arquitetura e de especialidades, Rui Paulo Figueiredo deu igualmente conta do “know how” da empresa que gere a rede portuguesa de mercados abastecedores na execução de planos de negócios, manuais de funcionamento, estratégias de marketing e comercialização, estratégias de recursos humanos, formação, regulamentos internos, códigos de boas práticas, ou sistemas de limpeza e de segurança.

«A primeira e principal preocupação é adaptar os investimentos realizados à realidade local, tendo em atenção quer o enquadramento social e económico, quer os hábitos culturais dos agentes económicos que neles exercem a sua atividade; a segunda preocupação é a total integração nas nossas infraestruturas, no respeito pelo cumprimento da legislação aplicável e na adoção de soluções empreendedoras, constituindo valor acrescentado para os clientes», disse.

Na sua intervenção, Rui Paulo Figueiredo expôs ainda o conceito de Centro de Logística e Distribuição (CLOD), «um moderno, dinâmico e polivalente polo de concentração e distribuição de produtos alimentares e não-alimentares, de serviços e atividades de logística». «De escala provincial e devidamente articulado em rede com os mercados locais (ao nível dos municípios), o CLOD] integra infraestruturas de apoio aos produtores, distribuidores e outros agentes económicos que exercem atividades que estão correlacionadas», explicitou.

De acordo com o gestor português, a implantação dos CLOD’s persegue objetivos como o fomento da produção agrícola das províncias, a sua concentração, valorização e escoamento; a formalização da atividade comercial no setor grossista e, por via desta, ao nível da fileira; e melhoria das condições de abastecimento das populações.

Com mais de 150 empresários inscritos, a Feira de Negócios dos Municípios de Luanda, em simultâneo com o 1º Fórum Empresarial dos Municípios de Luanda, foi uma iniciativa do Ministério do Comércio angolano e do Governo da Província de Luanda.

 

2019-11-07T15:33:34+00:00 Outubro 28th, 2019|

About the Author: