Bons resultados e negócios em curso garantem futuro confortável ao “MARF”

O bom desempenho das vendas, traduzido num aumento do volume de negócios, reflete em grande parte o retorno do investimento na atratividade e na promoção da oferta comercial e dos serviços prestados pelo Mercado Abastecedor da Região de Faro (MARF), bem como um posicionamento, «a que urge dar continuidade», mais próximo dos seus potenciais clientes e dos clientes dos seus clientes.

A afirmação dá corpo aos Documentos de Prestação de Contas do MARF relativos a 2018, agora aprovados em assembleia geral, que sublinham o volume de negócios de 1 milhão 465 mil euros registado neste exercício, com 499 mil euros de gastos operacionais (fornecimentos e serviços externos e gastos com pessoal), para um EBITDA de 1 milhão 156 mil euros e um resultado líquido de 651 mil euros.

O reforço da capacidade operacional e da solidez financeira da empresa permitiu, assim, dar cumprimento aos compromissos de natureza financeira em matéria de reembolsos de empréstimos, designadamente ao Banco Europeu de Investimento (BEI).

O MARF – diz o Presidente do Conselho de Administração — caminha a passos largos para, nos próximos anos, ser uma empresa sem dívida, ao mesmo tempo que se estrutura para investimentos de expansão, «de modo a continuar a aumentar, de modo recorrente e sustentado, os seus rendimentos operacionais».

Rui Paulo Figueiredo chama ainda a atenção – na mensagem aos acionistas, com que abre estes Documentos de Prestação de Contas – para o facto de, na área comercial, a MARF, SA ter iniciado um conjunto de contactos «que deixam boas perspetivas para novos contratos, que aumentarão ainda mais o volume de negócios num futuro próximo».

Ainda no plano financeiro, o CEO do Grupo SIMAB destaca o trabalho que viabilizou a operação de recapitalização da sociedade, «colocando os capitais próprios num patamar que permitiu à empresa sair do enquadramento do artigo 35.º do Código das Sociedades Comerciais».

No contexto desta operação de recapitalização, Rui Paulo Figueiredo faz questão de sublinhar a «excecional relação com a Câmara Municipal de Faro», que se consubstanciou, igualmente, no apoio dado à solução de conflitos que esta Administração havia herdado, ação que permitiu aumentar as taxas de ocupação do Mercado, potenciando as oportunidades proporcionadas pela recuperação da economia.

 

Foi possível recuperar operadores perdidos

Em 2018, a MARF, SA registou uma boa dinâmica comercial, assegurando a permanência de operadores já instalados e melhorando a sua performance por via da captação de novos operadores, mantendo igualmente alguns negócios sazonais.

A concretização de novos negócios, aliada à atualização de preços na área da logística, permitiu recuperar em 2018 rendimentos perdidos em 2013 e 2014, o que possibilitou que, durante praticamente todo o ano de 2018, o MARF tenha mantido uma ocupação próxima da sua máxima capacidade.

A MARF, SA encerrou o ano de 2018 com um Resultado Líquido de 651,4 milhares de euros, valor superior ao registado ao ano anterior, em 191 milhares de euros (+41,5%), correspondente a uma margem líquida sobre os rendimentos operacionais de 40% e a uma rendibilidade do capital próprio de 5,9%.

O EBITDA totalizou 1 155,6 milhares de euros, representando um acréscimo de 144,9 milhares de euros (+14,3%), face ao valor registado em 2017. Ou seja, a sua margem atingiu os 67%, dois pontos percentuais acima do ano anterior.

O EBIT ascendeu a 866,8 milhares de euros, acima do valor registado em 2017, no montante de 154,2 milhares de euros (+21,6%), correspondendo a uma margem do EBIT de 45%.

2019-07-29T12:45:46+00:00