BRAGA aumenta área edificada em 5000m2

O Mercado Abastecedor de Braga funciona desde 2002 e reúne no mesmo espaço – em Celeirós, Braga – os principais operadores do setor agroalimentar da região, mas também de setores não-alimentares, assegurando um serviço de 24 horas nas áreas da segurança, manutenção, limpeza e recolha de resíduos.

De acordo com o Diretor Comercial Norte do Grupo SIMAB, António Félix, o MARB tem atualmente uma ocupação que se aproxima dos 100 por cento, com 70 empresas, que no seu conjunto geram mais de 400 postos de trabalho.

«Dos setores aqui presentes, o da fruta e legumes é o mais importante, concentrando cerca de 70 por cento do total de empresas, com uma quantidade anual de hortofrutícolas transacionadas estimada em cerca de 60 mil toneladas, o que significa um volume de negócios de mais de 40 milhões de euros», diz este responsável, em declarações à rubrica “Janela TSF” patrocinada pelo Grupo SIMAB, que assim assinala também o seu 25.º aniversário.

António Félix adianta que no Mercado Abastecedor de Braga estão também instaladas empresas de distribuição e logística de base não-alimentar, designadamente dos setores das carnes, charcutaria, pescado, congelados, pastelaria e mercearia, bem como alguns dos maiores “players” nacionais dos transportes e da logística não alimentar.

Também as sinergias criadas pela integração num grupo como a SIMAB são apontadas pelo diretor do MARB como maisvalias para o negócio.

«O facto de o Mercado de Braga se integrar num grupo alargado de centros logísticos no seio da SIMAB – o seu principal acionista, a que se junta o Município de Braga, com uma participação simbólica –, permite-lhe obter um conjunto de sinergias que em muito contribui para o rápido acesso e para a adoção de medidas e técnicas que visem a otimização da gestão quotidiana e estratégica; também por esta via se aumenta a capacidade do MARB para proporcionar aos seus operadores e aos clientes dos seus clientes condições que lhes permitam consolidar e fazer crescer a capacidade de operação e de negócio», considera Félix.

Os planos de agora passam, entretanto, por um projeto de eficiência energética e pelo alargamento do recinto, o que, no total, representa um investimento superior a 3 milhões de euros.

«É importante destacar dois projetos – sublinha o diretor –, um que é já quase uma realidade e que tem a ver com a reconversão da iluminação do mercado para tecnologia “led”, com impactos muito significativos do ponto de vista ambiental, operacional, tecnológico e económico; e um outro projeto, mais a curto prazo, que tem a ver com o aumento da área edificada em cerca de 5 000 m2, e que já tem ocupação garantida por parte de uma das principais empresas nacionais da área da logística, que garante, assim, a expansão do MARB», dá conta António Félix.

O Mercado Abastecedor de Braga – recorde-se – faturou, no ano passado, 600 mil euros, esperando crescer este ano 2 a 3 por cento e potenciar o aumento de atividade em 30 por cento, concretamente após o alargamento do espaço a partir do final do ano.

Para ouvir: https://www.tsf.pt/programa/25-anos-simab/emissao/marb-9496624.html?autoplay=true

 

2018-07-06T11:07:50+00:00