Mercados do Futuro em debate

Segurança alimentar, controlos sanitários, gestão de resíduos, novas tecnologias, convénios logísticos, cadeia de frio, promoção de hábitos alimentares saudáveis, integração e coordenação com a produção agrícola, marketing e comunicação… Muitos dos temas que preencheram a agenda, a 15 de janeiro, em Roma, do Meeting Europeu de Mercados Abastecedores.

De acordo com o CEO do Grupo SIMAB, que representou Portugal neste encontro, alguns dos pontos motivaram «intenso debate», tendo sido assumido pelos intervenientes, entre outras decisões, a elaboração de um documento conjunto «que estabeleça as bases dos mercados abastecedores do futuro, através da inovação e modernização, com o objetivo de colocar os mercados grossistas como parceiros da política agrícola da União Europeia e agentes ativos na promoção do crescimento económico e do desenvolvimento sustentável».

Os mercados grossistas representam a maior infraestrutura de distribuição de produtos alimentares frescos dos 27 países da União Europeia: todos os anos, 25 milhões de toneladas de mercadoria são aprovadas através da oferta de 25 000 agricultores, para um volume de negócios da ordem dos 70 mil milhões de euros.

A par da SIMAB – que se fez representar pelo CEO do Grupo, Rui Paulo Figueiredo, e por Mariana Saldanha, da Direção Técnica – participaram nos trabalhos representantes de mais seis países: Itália (Fabio Palottini, anfitrião e presidente da Italmercati; Marco Lazzarin, presidente do CAT de Turim; e Giorgio Lambert, diretor do Mercado de Sestu); França (Frederique Wagon e Jan Jaques Bali, da Federação FFMIN, e Florian de Saint Vincent, do Mercado de Rungis), Espanha (David Martinez Fonto, da Mercasa), Alemanha (Frank Willhausen), Polónia (Gregors Empowichz e Mical Costelekky, da associação nacional); e Grécia (Stefania Koutsonikou e Giannis Triantafillis).

2018-02-08T08:13:48+00:00